20 de julho de 2017

John e Flea falam sobre a música e vida de Fela Kuti - Outubro de 1999


Este pequeno artigo foi publicado em 1999 como parte de uma seção de participação em massa a Fela Kuti. O publicante da Mean, Kashy Khaledi, queria ter artistas contemporâneos de uma certa notoriedade falando sobre a admiração por Fela, que sabíamos que seria um desconhecido para a maioria dos leitores da revista. Estas entrevistas seriam uma forma de escavação para achar Fela para alguns dos leitores menos curioso. Foi uma boa idéia, e de fácil execução, pois haviam muitos admiradores de Fela prontos para falar, incluindo o baixista Flea e o guitarrista John Frusciante, os membros mais musicistas da tremendamente popular Red Hot Chili Peppers, que havia gravado um b-side chamado "Fela's Cock" em 1991. Conversei com os dois juntos no apartamento de John, em Silver Lake na primavera de 1999.

MM: Quando você começou a ouvir Fela, ou ouviu sobre ele?

Flea: "Eu estava tocando com James White, que descreveu Fela como "o James Brown da África." É assim que eu descobri sobre ele. Eu saí e comprei o primeiro disco que encontrei em uma loja, Expensive Shit. E mais um greatest hits com "Gentleman" e "Lady". E no ano seguinte, ele saiu da prisão e tocou no Olympic Auditorium. Eu fui vê-lo tocar e foi uma das coisas mais INCRÍVEIS que eu já vi na minha VIDA. Ele tocou por cerca de quatro horas, com três músicas. Foi a melhor coisa que já ouvi. Foi incrível! As pessoas enlouqueceram, o lugar inteiro estava em chamas! Eu só me lembro de estar encantado com a música. Eu estava totalmente em transe. Ele tinha liberdade para tocar o quanto ele quisesse, dizer o que ele queria, o que ele ia querer, ele estava como se estivesse no palco de cueca, fumando um baseado, curtindo, cantando as melodias, solos longos."

Como foi a cena no palco?

Flea: "Havia toda aquela banda grande e os músicos eram muito diferentes, tocando suas partes muito bem, mexendo suas bundas e os dançarinos estavam realmente sexuais, sabe? Eles estavam usando algum tipo de roupas e ficaram de quatro na frente do palco com suas bundas de frente para o público, fazendo alguns movimentos descontroladamente sexuais. Era tudo coreografado --

John: "Eles fazem aquela coisa onde sincopam as bundas, as meninas que estão cantando os backing vocals, como ele diz, elas se alinham e as bundas ficam encarando a platéia, e todas as bundas estão fazendo a mesma coisa: uma bunda vai pra cima e pra baixo e a outra bunda vai pra esquerda e pra direita. Estão todos fazendo a mesma coisa. Eles tem, tipo, centenas e centenas de músculos na bunda que você não vê uma menina nos Estados Unidos ter..."

John, quando você soube de Fela?

John: "Eu escutei ele pela primeira vez por causa de entrevistas de David Byrne e Brian Eno em que eles falavam sobre o fato de que ele foi uma grande influência no som do álbum Remain in Light, que foi um álbum que eu comprei quando saiu em 1980. Mas eu comprei um disco do Fela em 84... Black President... Me lembro apenas de me apaixonar por ele imediatamente. Quer dizer, eu fiquei louco, eu estava animado e me mudou. Aquilo realmente se conectou comigo. Eu peguei o Black President, e então eu iria aprender os solos de saxofone na guitarra. Agora estou muito mais pra tocar as partes de guitarra, porque eu acho um monte de valor em apenas tocar cinco ou seis notas, ou dez notas, ou seja o que for, mais e mais e mais e mais, e pensar sobre as relações entre todos os instrumentos. Com a música de Fela você pode realmente viajar. As relações entre todas as partes... Total exercícios mentais. Desde o período em que terminamos o disco, sei la que dia de janeiro, em todo o tempo que estavamos terminando e quatro meses depois, eu acho, eu estava tocando junto com um disco do Fela todo dia."

Flea: "Fela era um rebelde, um punk rocker! Fela é o cara que cuspiu na cara de toda a autoridade. E, saca?, Fela é o cara, uma dessas raras pessoas que fizeram TODO um estilo de música ser dele, que você se identifique com ele. No Afrobeat, você não consegue pensar em mais ninguém, saca? E Fela e nunca faria nada para TENTAR ser popular. Ele manteve-se firme. Dessa forma, ele é como o Fugazi ou algo assim, você sabe o que eu quero dizer? Em termos de não jogar o jogo todo. Ele nunca iria tocar uma música depois que ele gravasse. É totalmente o oposto do que as pessoas fazem para ter grandes audiências. Para mim, sendo apenas um cara branco que cresceu em Hollywood, a minha imagem do que é belo sobre a África é Fela. Eu nunca fui à África, mas... tudo que é bonito nas pessoas eu vejo em Fela. Adoro sua música e pra mim, ele é um daqueles artistas transcendentes como Bob Marley ou Billie Holiday ou Miles Davis ou Led Zeppelin...todos os grandes artistas que transcendem todo o resto."

John: "Com a música de Fela você ouvirá um groove no início da canção e você fica feliz, porque você sabe que vai ser ouvido o mesmo groove por dez minutos e é um groove que é um bom som por dez minutos. São apenas determinados tipos de grooves...a maioria das pessoas que escrevem música, escrevem grooves que se você tivesse que ouvir durante meia hora você ia ficar louco. Mas, com os grooves de Fela, todos os sons são muito bons. São pra ouvi-los para sempre."

Flea: "Isso mesmo. Todos eles. Cada album! A nitidez da música e do som da música é tão...é um poço sem fundo de groove, sabe? Não tem nada parecido com isso. Tentei pensar, "há alguma coisa parecida com isso?" Nada, sabe? E todos os discos são sempre ótimos."

John: "Eu fico tão feliz que ele tenha feito tantos, sabe?"

Flea: "As pessoas tem que ouvir isso, sabe? Ele deve ser ouvido por todos... Além disso, a principal coisa que eu sempre gostei dele, provavelmente o elemento mais importante, foi que seu nome tinha as mesmas quatro letras de "Flea" (risos)."


Tradução: Felipe Marcarin
Fonte: Jay Babcock - Mean Magazine - Outubro de 1999

Nenhum comentário:

Postar um comentário