28 de abril de 2019

Resistente Demais Para Morrer (Um Tributo a Johnny Ramone) - Final de 2004


Entrevista com John Frusciante, lançada na versão japonesa do documentário “Resistente Demais Para Morrer (Um Tributo a Johnny Ramone)" de 2006, na qual ele fala sobre sua vida, os Ramones e sua relação com Johnny Ramone.



"Eu acho que eu tinha por volta de 9 anos, eu acho, e eu lembro especificamente de ouvir "Beat On The Brat" e soava muito atrativo. E eu ficava imaginando por que soava tão diferente de tudo, era realmente divertido e extremamente simples.

E era muito legal. Então eu fui a uma loja de discos em Santa Monica; eu queria comprar…E eu cheguei lá com um grande pote de moedas que eu estava economizando por que eu queria comprar o álbum que tinha "Beat On The Brat"; mas eles não tinham, então eu comprei Leave Home.

E tive uma conversa legal com as pessoas lá; eles me acharam descolado por que eu tinha nove anos e estava comprando um álbum dos Ramones com um pote de moedas.

E depois eu comprei Rocket To Russia e End Of The Century quando foi lançado.

Eu encontrei com um amigo que trabalhava em uma loja de comida saudável que eu costumava ir todo dia e ele me deu uma copia de It’s Alive, um álbum ao vivo e eu achei muito exótico por que não estava a venda na América, apenas na Inglaterra. E eu achei muito exótico por que eu tinha um importado.

Então eu realmente não quis ter o primeiro álbum até eu ficar mais velho. Era o que eu queria, mas eu não tinha tanto dinheiro para comprar discos e eu tinha a maior parte das musicas no álbum ao vivo. Então eu racionalizei para usar o dinheiro com outra coisa por que eu achava que tinha a maior parte das musicas em It’s Alive.

Eu tenho certeza que não é que eu não gostava deles antes. Eu estava interessado em outros tipos de banda punk, mas eles apareceram como se fossem algo a mais. Agora olhando para trás e obviamente eles estavam em uma banda comercial mas para mim haviam três bandas punks comerciais: The Clash, os Sex Pistols e os Ramones. As outras eram bem underground, mas aqueles estavam nas revistas, na TV, numa loja de discos, coisas do tipo. Mas em termos de musicalidade, eles foram notados por razões similares, por que eles tinham musicas realmente fortes e que realmente cativavam.

Eu ouvia coisas como B-52, que tinham musicas cativantes e ouvia coisas como The Gerns que tinham uma energia mais intensa mas não tinha melodias envolventes. Os Ramones tinham a força de bandas punk hardcore mas eles também tinham um senso melódico de algumas dessas coisas que eu estava ouvindo, que não era tão forte e rápido.

Não é que não tinham bandas que tinham essa combinação. Agora punk virou musica popular de alguma forma, então as duas coisas andam juntas. Mas naquela época punk era uma coisa que pessoas em geral não entendiam e não gostavam e era muito louco para elas. Por exemplo eu colocava punk para tocar para os garotos da escolar e eles paravam de falar comigo, literalmente. Não é engraçado é muito triste. Eu queria alguém para ser meu amigo, ouvir os álbuns que eu gostava e eles paravam de falar comigo, completamente. Mas provavelmente se eu tivesse colocado Ramones para tocar ao invés The Germs, talvez tivesse dado certo. Os Ramones tinham mais aceitação, que agora pensando em retrospecto obviamente vinha do amor deles por musica pop, músicas que os influenciaram.

É verdade que muitas bandas punk tinham aquilo, mas os Ramones definitivamente tinham um senso de como era feita uma boa musica pop. Obviamente eu não estava intelectualizando isso quando era um garoto, eu não ligava se alguma coisa era cativante ou não, não era desse jeito que eu pensava; estou apenas pensando em retrospecto. Na época eles me pareciam muito engraçados. Além das letras serem divertidas e os desenhos e o interior do álbum, era muito divertido o jeito rápido da musica. Eles não pareciam reais para mim, eles pareciam personagens de desenho animado; eles pareciam tão estranhos, não pareciam pessoas de verdade para mim, era difícil imagina-los vivendo suas vidas como pessoas normais.

Eu acho que todas essas coisas contribuíram para o que sinto sobre eles. Muito mais do que serem musicas cativantes, por que estava muito mais interessado na energia da musica do que se eu conseguiria ou não acompanhar.

Eu comecei a tocar guitarra quando eu tinha 11 anos. E eu aprendi musicas dos Ramones e todas as musicas punks, Sex Pistols, Ramones, Germs, Clash

Eu não acho que qualquer guitarrista soa como outro guitarrista. Para mim quando você escuta o som de uma guitarra, você escuta o sistema nervoso, a pele, a carne, a psique daquela pessoa. Eu sinto que tudo em uma pessoa aparece pela sua guitarra e é por isso, você pode ouvir uma nota e tocar, e não é como Jimi Hendrix ou Jimmy Page, no entanto é possível de identificar e Johnny tinha isso. Outros guitarristas tem também mas especificamente esses que lembramos e falamos sobre.

Mas além disso a principal característica do jeito dele tocar é uma arte esquecida, o fato de ser apenas downstrokes (batidas para baixo nas cordas da guitarra). Em geral nos quarto primeiros álbuns dos Ramones ele estava fazendo apenas dois acordes (pega o violão) Era esse acorde ou esse acorde, a não ser que ele estivesse tocando algum tipo de acorde aberto, mas era basicamente esses e movendo para cima ou para baixo (no braço da guitarra). Essa parte do jeito dele tocar é realmente fácil de aprender e isso é verdade para a maioria das musicas punk daquele tempo. Muitas vezes não era sequer o acorde completo, eram apenas as duas notas mais baixas. Mas quanto as batidas para baixo algumas pessoas fazem e outras não. É um som completamente diferente quando a pessoa faz assim. Muitas pessoas não tem força nos pulsos e isso era algo que Johnny tinha naturalmente, ele não tinha que se esforçar para isso, ele tinha a força certa no pulso e ele podia fazer batidas para baixo por um longo tempo e ficar relaxado o tempo todo sem tencionar.

Outros guitarristas na história faziam a mesma coisa: Greg Ginn dos Black Flag, McCain, Fugazzi. A maioria das grandes bandas de punk daquela época faziam apenas batidas para baixo. Isso fazia com que o som parecesse um trem implacável, descendo em sua direção, veloz. É isso que da à musica uma intensidade aguda, como uma metralhadora, implacável. É isso que as bandas que se chamam de punk atualmente não fazem; os guitarristas não fazem apenas batidas para baixo e o som parece fraco para mim. O guitarrista não fazer apenas batidas para baixo não muda apenas o som da guitarra, muda o som da bateria, do baixo, muda tudo. Quando o guitarrista e o baixista fazem apenas batidas para baixo a bateria soa completamente diferente

Todos estavam tocando no mesmo nível de intensidade. E eu penso que não existe outro jeito de ter essa intensidade. E eu acho que muitas pessoas apenas ouvem a musica e não vê ao vivo; houve um grande período de tempo que ninguém ligava para o punk; nos anos 90 as pessoas voltaram a se interessar. E não haviam bandas punk populares como Sex Pistols e os Ramones, como nos anos 80, por que ha muito tempo as pessoas tinham desistido do punk. Mas nos anos 90, por causa do Nirvana, começou a acontecer novamente e todas essas bandas novas estavam aprendendo a musica baseada no que ouviam e não no que viam ao vivo. Então obviamente ninguém sabia que deveria fazer apenas batidas para baixo e consequentemente a musica não tinha toda aquela intensidade. E eu acho que isso era algo que Johnny observava nas pessoas tentando tocar a sua musica, se não fizessem apenas batidas para baixo era sinal de fraqueza para ele.

Eu me lembro especificamente que eu era, eu era fã de End Of The Century, que muita gente pensa que é onde eles começaram a mudar, mas para o mim, como criança parecia a mesma coisa, mesmo que agora eu ouça de maneira completamente diferente, mas ainda assim soa muito bom para mim

E eu ainda acho que é um bom álbum. Pleasant Dreams eu ouvi no radio e naquela época eu lembro de dizer para um amigo que eu ouvira a nova musica dos Ramones, e era heavy metal, eu disse que eles se tornaram heavy metal e eu fiquei muito desapontado; e eu parei de prestar atenção. Então para mim eles acabaram.

Quando eu os vi eu pensava em algo do passado por que eu não achava que eles faziam mais musicas relevantes,

Eu tinha 18 em Palladium.

Eles eram bons mas para mim, eu gosto de ver uma banda quando estão realmente fazendo musica que eu considero que eles são importantes, e eles não estavam. E eu não sinto nenhuma estranheza em dizer isso.

Agora que eu sei o que estava acontecendo no interior da banda, faz sentido para mim que eles não estavam...que a musica não estava vindo realmente do coração mais. Por que eles estavam na banda por que era o jeito de ganhar dinheiro e não por que se amavam, ou amavam fazer musica juntos.

Eu não gosto muito de musica que as pessoas fazem apenas como um trabalho. Não é por ai que meus ouvidos vão. Eu respondo à energia e se a musica está emanando uma boa energia é isso que eu vou ouvir, é nesse sentido que eu vou gravitar.

Mesmo que uma banda seja realmente boa, não é suficiente para mim. Eu tenho que ver o que tem no ar entre os músicos, eu tenho que ver o sentimento que vem de cada pessoa.

Eu tenho que confiar na musica o suficiente para deixa-la entrar.

E se a banda não vem de um lugar puro, eu não sinto confiança o suficiente para deixar a música entrar, e isso sou apenas eu, quem eu sou.

Definitivamente não significa nenhum desrespeito. Eu não acho que existam muitas bandas na história melhores que eles. Eu acho que eles foram tão bons quanto e possível uma banda ser, mas apenas nos quatro primeiros álbuns (Ramones, Leave Home, Rocket to Russia, Road to Ruin).

Ele (Johnny Ramone) gravou uma fita para mim quando nos conhecemos, com as musicas favoritas dele dos Ramones depois do quarto álbum, a partir do ponto onde eu parei de ouvi-los. Ele concordou comigo que os álbuns não era tão bons, ele achava que os primeiros eram quase perfeitos, especialmente os três primeiros.

Mas depois disso ele sentia que tinham algumas musicas boas e outras ruins, ele gravou uma fita cassete com as que ele achava melhores, e tinha boas musicas. Eu posso apreciar uma boa musica. Mas novamente, não é algo que eu fico obcecado, não é algo que eu sinta que veio de um lugar puro.

E também tinham algumas musicas que eu não gostava. Eu prefiro o todo, o álbum todo, pensando nas pessoas naquele momento e eu fico realmente obcecado. E eu nunca senti isso pelas coisas mais recentes dos Ramones. De tempos em tempos ele me perguntava: “você ouviu essa musica, você ouviu aquela música”. Eram boas músicas . Eu pessoalmente nunca gostei de tocar várias e várias vezes no meu player. Eu escuto um álbum de tempos em tempos. Mas para mim são os quatro primeiros álbuns que eu gosto muito, para mim são esses que são melhores que os feito por outra banda qualquer em 20 álbuns. Eu quero dizer, esses álbuns tem um nível de grandiosidade.

Seria difícil, impossível ter ficado melhor que isso e os Ramones poderiam ter ido em uma direção diferente. E eles foram por um segundo e decidiram que era uma ideia ruim, então eles ficaram os mesmos e eu não vejo quão longe é possível ir repetindo o mesmo, a mesma fórmula. Inevitavelmente vai perder a força. Eu não acho que seja possível fazer a mesma coisa.

Se você olhar para a história: Van Halen é uma banda que teve alguns álbuns iniciais muito poderosos, mas foram ficando fracos, e é assim mesmo se você não mudar drasticamente. Alguém como os Beatles obviamente mudaram drasticamente e fizeram vários álbuns diferentes uns dos outros, mas igualmente ótimos. E eu acho que esse é o único jeito de seguir por um longo período de tempo.

O que eu estava dizendo é que não é uma falha dos Ramones, eu respeito. Eu respeito o desejo de continuar o mesmo e seguindo e eu entendo que ele sentia. Muita gente passa a vida toda procurando por um estilo ou pensando em como achar um lugar para si mesmo e a sua musica. Seja no rock, no rap ou no punk. Por um longo período as pessoas pensam: “com eu posso ser parte dessa grande coisa, a historia da musica”. E eles chegaram a um estilo. Por sorte ninguém nunca fez algo como os Ramones, e ninguém tinha feito antes.

Eu não posso dizer que eu consegui chegar a algo do tipo para mim. Eu pratico guitarra um monte, eu sou um bom guitarrista. Mas eu não posso dizer que eu inventei um estilo musical. Os Ramones, em vários sentidos, foram a primeira banda punk. Obviamente tem muitas coisas que levaram eles ate isso, mas basicamente eles são reconhecidos como a primeira banda punk. Sex Pistols, The Clash, todas começaram por causa deles.

Eles inventaram um estilo e isso é algo para se orgulhar. Não tem muita banda na historia da musica que é o centro de um estilo, que deu origem a muitas bandas originais.

Muitas musicas eram sugeridas (aos Red Hot Chilli Peppers), "I Wanna Be Sedated" para mencionar uma, Road To Ruin...eu realmente gosto dessa musica. "Don’t Come Close", apesar que acabamos nunca fazendo essa musica.


Eu sempre gostei do jeito que eles faziam ao vivo, soava mais punk do que na gravação, que era mais uma balada ou qualquer coisa mas ao vivo era mais punk e eu queria fazer a versão punk, como eles faziam ao vivo.

Tinha musicas boas suficientes no álbum Road To Ruin, não apenas as normais, mas todo mundo queria essas, então acabávamos fixando nesse álbum. Acabou sendo um interesse e gradualmente percebemos que era um bom conceito. Por que não todas as musicas de Road To Ruin?.

Eu passo muito tempo tocando junto com as musicas deles e é muito gratificante para mim, em muitos sentidos.

Por ser simples e ritmicamente reto como é. Tem muitas formas e tem muitas curvas e inclinações e muito movimento, movimentos circulares. Muitas dimensões. Simples como é. Se você pedisse para um musico mediano escrever alguma coisa baseado unicamente nisso (cantarola) se você me pedisse para ficar basicamente nesse ritmo e apenas com batidas para baixo na guitarra...a musica ficaria algo como blocos, pareceria como um monte de tijolos caindo no chão ou algo do tipo. Não pareceria algo que flui e se move e inclina e a musica deles estava constantemente fluindo e inclinando e se movendo em vários caminhos. É como encontrar algo inigualável para a musica, tão simples. Eu sou um grande fã de simplicidade, sou fã de espaço. Então quando escuto a musica deles e toco junto e estudo, tem um monte de espaço para eu pensar sobre, para ocupar.

Por que eles estavam fazendo mais com espaço e com simplicidade do que qualquer um já fez. Para mim seria tão bom como algo dos anos 50, que a gente pode pensar como algo simples, eles estavam usando acordes que foram emprestados do jazz. Não é algo tão simples como o que os Ramones estavam fazendo

E para mim, eu não sou dessas pessoas que dizem “é simples mas é bom”. Eu sou mais “é simples por isso é bom”. As vezes é bom deixar mais espaço para a pessoa que está ouvindo ocupar na musica. Mais rotas e mais canais para a musica se manifestar no cérebro da pessoa. Para mim é um desafio tentar fazer musica tão simples quanto possível, somente o suficiente, somente o necessário. E para mim os Ramones são um exemplo disso.

Tem muita qualidade em todas aquelas musicas iniciais. Era sempre o mínimo do que podia ser. Eu acho que é por isso que para mim os primeiros álbuns se destacaram até mais do que Road to Ruin, End Of The Century. Por que em Road To Ruin eles começaram a fazer overdubs com a guitarra acústica ou solos de guitarra. Para mim eu gosto da simplicidade, apenas o ritmo da guitarra, do baixo e da bateria do que uma dúzia de coisas confusas, girando ao redor de outras coisas. Mas a musica dos Ramones circula do mesmo jeito que a de Hendrix: não tem todos os overdubs e não tem efeitos, é tudo seco e colorido como qualquer musica deve ser.

Sim, levamos (Red Hot Chilli Peppers) isso muito a serio. Nós estamos escrevendo um novo disco nos últimos meses. E bem no começo quando começamos a escrever esse algum, estávamos dividindo nosso tempo em escrever novas musicas e tentando chegar a novas ideias. E tentando aprender algumas musicas dos Ramones e ensaiando elas. É um ótimo jeito de começar por que eu acho que meio que eleva a barra de qualidade do que esperamos para nós mesmos. Da mesma forma que seria se começássemos aprendendo músicas dos Beatles por uma semana. Estamos aprendendo musica de extrema qualidade. E não seria suficiente apenas escrever musica, é apenas ok. Você começa tentando entrar nas melhores musicas que já foram escritas.

CJ era muito bom nas batidas para baixo. Eu disse para ele que CJ tinha feito somente batidas para baixo e ele o elogiou. Ele disse que precisava de outras pessoas. É o que ele era. Ele estava feliz que o show tinha sido bom.

Para mim parece óbvio que ele se manteve vivo ate que o show acontecesse. Ele ficou muito triste de não poder ir no show.

E eu acho que ele sabia algumas semanas antes que não seria possível ele ir ao show. Apesar dele ter perdido toda sua vontade de viver, quero dizer ele perdeu a fora e a habilidade de continuar vivo, mas ele se forçou a ficar vivo até o show. Ele morreu três dias depois do show, na verdade dois dias inteiros depois do show.

Foi tempo suficiente apenas para ouvir algumas pessoas. Eu acho que isso significava algo para ele por que era o aniversario de 30 anos do primeiro show (dos Ramones). E eu não acho que dei muitos detalhes sobre o show, falei sobre as coisas que achei boas. E eu acho que ele ficou feliz.

Vincent Gallo, Eu fiquei amigo de Vincent Gallo quando ainda estávamos escrevendo o álbum Californication e estávamos comendo um dia, eu, Benson e Tony. Estávamos falando sobre que musicas eu estava envolvido na época. E Ramones era a principal. Todos os dias eu praticava tocando junto com álbuns dos Ramones. Pelo menos um álbum por dia, todos os dias, enquanto estávamos escrevendo Californication. Era um bom jeito de deixar minha mão direita, meu pulso direito forte de novo por que eu não toquei guitarra por alguns anos. Então esse era meu exercício de guitarra, tocar junto com os Ramones todos os dias.

Então eu estava contando para ele (Vincent) o quanto eu amava dos Ramones.

E eu quase não acreditei quando ele disse que Johnny Ramone era seu melhor amigo. E foi um choque para mim. Eu disse que quando eu era criança os Ramones pareciam personagens de desenhos para mim e eu havia crescido com aquela imagem e eu nem consegui imagina-los como pessoas que eu poderia conhecer. Eu conheci Joey e CJ. Joey não quebrou aquela imagem de cartoon para mim porque ele não parecia real.

Então Vincent me disse que ele iria me levar para visitar Johnny Ramone mas que teríamos um pequeno problema, um pequeno obstáculo a superar por que os Red Hot Chilli Peppers tinham entrado nus no palco durante uma performance dos Ramones em um festival em que ambas bandas estavam tocando.

Isso foi antes de eu entrar na banda. Ainda assim sabíamos que era algo que Johnny ainda não tinha superado e eu teria que responder.

Então Vincent me levou um dia e disse que era melhor eles serem legais com seu novo amigo ou ele nunca mais voltaria. E eles foram muito legais comigo

E conversamos muito sobre The Yardbirds. Eu realmente estava interessado nos Yardbirds na época. E ele me contou do show no Teatro Anderson, em Nova York, que era uma das minhas gravações ao vivo favoritas. Então pedi para ele gravar uma fita para mim com esse show e começamos a ser amigos e conversar no telefone, muito."

Tradução: Eloá Otrenti - Frusciante Brazil


COMUNICADO:
A partir dessa publicação começamos uma parceria que irá render muitos frutos aos fãs brasileiros de John Frusciante, Eloá Otrenti do Instagram Frusciante Brazil irá nos enviar algumas entrevistas que ainda carecem tradução.

Siga a Frusciante Brazil para ter acesso a informação e a pílulas dessas entrevistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário