18 de julho de 2016

The Almighty Instrumentals

16 de junho de 2016
"Postei minhas mixagens instrumentais de todas as faixas do álbum The Almighty, do Black Knights, em que eu fiz toda a música, no meu Soundcloud e Bandcamp, onde elas podem ser transmitidas ou baixadas gratuitamente.

A capa para este álbum on-line foi feito por Aura T-09.

Toquei sintetizadores analógicos e digitais, drum machines digitais e analógicas, samples, violão e guitarra, e sintetizadores de guitarra dos anos oitenta. As guitarras são os únicos instrumentos que toquei com as minhas mãos de forma tradicional. O resto eu toquei via programação, o que também se faz com as mãos, embora não em tempo real; o ponto é que eu não toquei nenhum teclado ou drum pads.

Minha sala de lives, criada pelo contratante Jacques Lacroix, o engenheiro de acústica Vincent Van Hoff, e meu gerente de estúdio Anthony Zamora, foi o principal local que consegui sons de sala, reverbs e atmosfera sobre essas gravações. Mandei sons e performances do meu computador para a sala onde eles tocariam através de um alto-falante, fazendo a sala reverberar, que passaria então a ser captado por um microfone ambiente, o cabo que traria este som à minha mesa de mixagem, de onde ele iria retornar para o computador, onde eu iria combinar a acústica da sala com o som da fonte. Geralmente eu faço uma certa quantidade de equalização subtrativa no meu computador quando envio o som para a sala, em seguida na minha mesa de mixagem quando o som volta para mim, e também no computador novamente quando encaixo em toda a mixagem. Estas são duas imagens do quarto, cada uma de ângulos opostos.



Aqueles de vocês que não têm o espaço ou os meios para ter uma sala de live construída, certamente podem usar um banheiro para o mesmo fim. Você ficaria surpreso com o quanto você pode equipar uma sala por aplicação criativa da equalização subtrativa.

Uma técnica de sala que utilizei ao longo do tempo foi enviar uma performance gravada invertida para dentro da sala, gravar o que a sala fazia, em seguida virar a inversão, e colocá-la um pouco antes do som da fonte, exatamente posicionada de modo que o volume mais alto da reverberação da inversão terminasse exatamente quando o som da fonte começa. Isso criou o efeito do som parecendo vir a partir da sala, em vez de o som da sala ser proveniente da fonte de som; o inverso das leis da natureza que governam a acústica.

Eu também fiz a mesma coisa com o meu reverb digital AMS, a única outra fonte de reverb que eu usei no álbum. Um bom exemplo disso é a faixa “Techniques and Shockwaves”, em que, no meio música, as únicas batidas são apenas uma série de batidas em tons que são todas precedidas por um longo reverb invertido, como se cada som estivesse vindo do nada; um reverb natural e para frente, em seguida, acontece.

Devido aos anos de experiência com a minha sala de live, eu também tinha o hábito de fazer imitações de sons de salas de outros espaços, programando patches de sintetizadores modulares com os ataques das performances de um bumbo ou uma caixa, muitas vezes também enviando esses sons para a sala de live. Isso fez algumas baterias bem barulhentas nos lugares que eu fiz isso.

Estou muito orgulhoso dessa música, e acho que funciona muito bem como um álbum instrumental, embora não se destinasse a ser um. Há muita coisa acontecendo nestas faixas que ficam praticamente perdidas nas versões vocais originais.

Meus agradecimentos vão a Crisis, Monk, e os outros vocalistas que fizeram as performances que me inspiraram para silenciar e não silenciar as faixas das formas específicas eu fiz. Essas são suas contribuições escondidas ao The Almighty Instrumental Mixes. Isso resultou em alguns arranjos de canções instrumentais muito interessantes.

Este material foi gravado ao longo do primeiro semestre de 2013. Assim como durante os últimos nove anos, eu fiz essa música para aprender, e porque era o que eu queria ouvir. Eu queria ouvir grooves lentos, e explorar os diferentes tipos de sutis saídas de tempo que fazem grooves fluírem de maneiras diferentes. Durante vários anos anteriores a isso, eu estive muito ocupado com baterias, fazendo delas um instrumento principal, e por isso aqui eu evitei tocar super-rápido ou extremamente fora do tempo, ou fazer assinaturas de tempo excessivamente estranhas, em parte por conta de consideração musical aos outros vocalistas, mas principalmente porque eu não queria me mostrar na bateria naquele momento. Agora, entretanto..."


Tradução: Felipe Marcarini

Nenhum comentário:

Postar um comentário