13 de janeiro de 2018

ENTREVISTA: MICHAEL BEINHORN (PRODUTOR DE UPLIFT E DE MOTHER'S MILK) (2018)

A equipe do site italiano Venice Queen entrevistou Michael Beinhorn, produtor de dois álbuns clássicos do Red Hot Chili Peppers - The Uplift Mofo Party Plan (1987) e Mother's Milk (1989).

Ajude a JFeffects:


Help JFeffects:


Português | English | Italiano


Michael Beinhorn e os Chili Peppers: Um trampolim de lançamento mútuo

Michael Beinhorn é parte da história do Chili Peppers: ele é o único produtor que trabalhou com a formação original da banda antes da morte de Hillel Slovak (The Uplift Mofo Party Plan, 1987) e o primeiro a trabalhar na formação histórica (Mother's Milk, 1989) com a chegada de Chad Smith e John Frusciante. Anthony Kiedis, em sua autobiografia Scar Tissue, descreve Beinhorn como um cara um pouco tirânico para seu gosto, que ao contrário do produtor anterior, era muito focado no som, graças a sua inteligência e competência musical. Kiedis descreve especialmente as diferenças entre o produtor e John Frusciante; de fato, Beinhorn pediu a John que tocasse um estilo musical muito próximo do metal, enquanto que John não se sentia nada a vontade em tocar dessa maneira. Mesmo recheado de fragilidades, o que surgiu foi um disco fantástico, que prometeu o mundo à banda e que muitos fãs do Chili Peppers ainda amam hoje em dia, graças a músicas como “Fire”, “Nobody Weird Like Me” e “Higher Ground”.




Sobre o cover do Stevie Wonder, é uma faixa que Beinhorn queria muito, então devemos agradecê-lo pela banda ter incluído no disco; isso gerou muito atrito entre o produtor e Kiedis, já que Michael pediu que Anthony improvisasse no final da música, de acordo com sua autobiografia. Mas o Red Hot Chili Peppers representa apenas o começo da carreira gloriosa de Michael Beinhorn como produtor: de fato ele trabalhou com vários artistas ao longo dos anos, como Soundgarden (Superunknown, 1994), Ozzy Osbourne (Ozzmosis, 1995), Hole (CelebritySkin, 1998), Marilyn Manson (Mechanical Animals, 1998), Korn (Untouchables, 1998) e Black Label Society(Shoot To Hell, 2006), só para mencionar os mais importantes. Mas hoje queremos perguntar sobre sua experiência como produtor do Chili Peppers e ele decidiu falar sobre isso exclusivamente com a comunidade do site italiano Venice Queen - dedicado a banda.




Quem era o cara mais desordenado e talentoso entre John Frusciante e Hillel Slovak? E quem era o verdadeiro líder da banda? Porque, na minha opinião, Flea sempre foi o ponto de referência para a banda. 

"A primeira pergunta é realmente subjetiva e na verdade não posso respondê-la. Ambos eram muito diferentes em termos do que trouxeram para a banda. No que diz respeito ao líder, Flea certamente tinha um comportamento muito alfa e dominante, mas todos tinham sua personalidade própria e praticamente faziam o que queriam na estrutura da banda. Não me lembro de muitas situações em que Flea disse a alguém o que fazer."

Você vivenciou o período mais significativo de mundaça para a banda, talvez o mais difícil também. Você pode descrever esse período desde o seu ponto de vista com alguns fatos curiosos? Percebeu alguma mudança significativa na composição com a entrada do John e do Chad?

"Sim – aqueles foram tempos difíceis para a banda – especialmente na gravação do The Uplift Mofo Party Plan – provavelmente o mais ajudou a formá-los e o tempo em que eles poderiam ter facilmente se desmoronado. A gravadora deles os odiava, eles eram considerados uma banda nova, ninguém os levava realmente a sério e, claro, Hillel e Anthony tinham problemas com drogas. Eles quase não tinham apoio fora de sua comunidade em LA (além de alguns fãs pelos EUA) e eles estavam no meio de uma crise de identidade, bem como baixa moral. Foi um processo muito difícil de passar e muitas vezes bastante brutal. Há um post no meu site chamado "A crescendo grows in Hollywood", que é sobre esse período com o Red Hot Chili Peppers. A entrada de John e depois de Chad realmente mudou tudo. Eles trouxeram os elementos certos à banda para ajudá-los a alcançar um sucesso maior."




Como você trabalhou com a formação original e com aquela que alcançou o sucesso mundial, quais diferenças você percebeu na abordagem de trabalho no estúdio?

"Novamente - eram pessoas diferentes, então iria ser uma dinâmica de trabalho diferente. Quanto a como eles abordaram o que eles fizeram, não há nenhuma diferença básica. Jack Irons colocava 100% em suas performances, assim como Chad. O mesmo aconteceu com Hillel vs John. Chad tinha uma personalidade turbulenta, maior do que a vida, enquanto Jack era mais descontraído. John era um pouco estranho e bobo, enquanto Hillel era um pouco mais introvertido. Eles eram pessoas diferentes, mas todos colocavam o melhor que podiam em seu trabalho."


Está claro que com Uplift a banda estava tomando uma direção totalmente diferente daquela que depois tomaria com o Mother's Milk e Blood Sugar Sex Magik. Na sua opinião, quem eles seriam hoje se tivessem permanecido com a formação do Uplift? Eles teriam alcançado o sucesso que alcançaram com diferentes estilos musicais anos depois? E o que mais mudou, falando em estilo musical?

"Estas não foram as direções que eles escolheram, mas a forma como as músicas e a composição de músicas cresceram organicamente. O desenvolvimento criativo foi perfeito porque ocorreu naturalmente sem ter que pensar muito. Era divertido fazer parte dessa colaboração e observar sua trajetória de crescimento. Até aonde eles poderiam chegar se tivessem continuado com a formação de The Uplift Mofo Party Plan, não posso dizer. Tenho certeza de que se separariam e eventualmente terminaram fazendo outras coisas. Não há dúvida de que com a formação original eles nunca teriam conseguido o nível de sucesso que acabaram tendo. Eles precisavam de um compositor para esse tipo de sucesso - Hillel era mais um criador de riff, mas John realmente se destacava na composição. Sinto que a principal diferença foi composicional. Ter músicas reais forçou a banda a intensificar seu jogo. Isso afetou tudo, incluindo como os discos soavam."




Em 1987, o Red Hot Chili Peppers já tinha dois bons discos, mas nenhum deles alcançou o sucesso. O que estava faltando para conseguir esse sucesso? Você acha que eles poderiam tê-lo alcançado com a formação original também?

"Como disse acima, a chave eram as músicas. Os primeiros dois discos tinham diversão, faixas entretidas neles, mas não tinham nenhuma música. No The Uplift Mofo Party Plan, meu foco era tentar e construir músicas estruturadas e reconhecíveis. Esta foi uma das razões pelas quais o The Uplift Mofo Party Plan foi mais bem sucedido que os dois anteriores - mais focado na estrutura. O único ingrediente que faltava era alguém que pudesse compor grandes estruturas de músicas e grandes melodias - claramente eles conseguiram isso quando John se juntou à banda."

O que divide o Uplift com o Mother´s Milk é um ano: 1988, que foi cheio de mudanças para a banda: a morte de Hillel, a renúncia de Jack, a entrada de Chad e John, marcaram o fim de um capítulo e o início de um novo. Em alguns anos a banda já não era mais a mesma. Gostaria de saber se você notou essas mudanças no estúdio, sob vários pontos de vista: artístico, musical e pessoal.

"Na verdade, foram quase dois anos, mas sim, essas mudanças eram muito evidentes. Uma coisa sobre o núcleo da banda (que era essencialmente Michael ["Flea"] e Anthony): eles nem sempre reconheciam o que era melhor para eles e, muitas vezes se entusiasmavam com coisas que os atraíam no momento, mas claramente não iam ser boas para eles a longo prazo. Por exemplo, tinham muita confiança em ter Blackbyrd McKnight na banda (muito conhecido na comunidade funk naquela época, mas foi uma má escolha para os Chili Peppers), que foi algo com o qual lutei contra e quase saí do projeto. Uma das razões pelas quais acho que John se juntou à banda foi que eles ficaram sem outras opções e não conseguiram encontrar alguém que eles achavam que era tão legal como Blackbyrd, e John os estava perseguindo ativamente para se juntar. Quanto ao Chad, eles estavam hesitantes em trazê-lo para a banda, mesmo depois de ele ter sentado atrás de uma bateria, e começado a tocar e então foi óbvio que ele era perfeito para eles. Depois da audição, eu os chamava todos os dias perguntando se o haviam contratado e eles continuavam colocando desculpas por que não o queriam. Finalmente, acho que os incomodei tanto que o chamaram e pediram que se juntasse."




Em quais aspectos do som da banda você entendeu que deveria intervir fortemente para fazê-los alcançar o sucesso do Mother´s Milk? E como você gerenciou esse trabalho com músicos como Anthony, Flea e John?

"Não tenho certeza se entendi sua pergunta, mas o som da banda havia mudado drasticamente depois que o John e o Chad se juntaram. O som tornou-se mais rico, mais completo, mais agressivo e a banda foi muito receptiva a essas mudanças. Nesse momento, realmente estavam começando a parecer a uma banda de rock (uma identidade que realmente não queriam, mas sempre haviam sido mais punk do que funk). Simplesmente fui com a energia que projetavam e tentei gravá-los da melhor maneira que pude."


Você lembra quais músicas de ambos discos demorou menos tempo para escrever e compor e quais foram as que tomaram mais tempo? Você tem algum fato curioso sobre a composição dessas músicas?

"Lembro que muitas músicas no The Uplift Mofo Party Plan começaram a partir de improvisações ou riffs que traziam Flea ou Hillel. Foi parecido no Mother's Milk, exceto que John já havia escrito suas músicas quando as apresentou à banda. Não lembro nada específico sobre músicas que tomaram mais ou menos tempo para compor. Às vezes, improvisar músicas tomava um tempo e muitas ideias que começavam a se desenvolver, eram descartadas no processo."

Uplift e Mother's Milk são dois discos muito diferentes entre si. Qual foi o ponto-chave da transformação (técnica e compositiva) para a banda naqueles anos?

"Como disse antes, os participantes mudaram e o som mudou com o pessoal. Chad era mais barulhento e agressivo que o Jack. John era mais compositor que Hillel e tinha um som mais alto e mais moderno."

Quais eram suas expectativas musicais no lançamento do Mother´s Milk quando a banda começou a trabalhar no estúdio neste disco? Quais foram as maiores dificuldades para a banda na criação do álbum e como você os ajudou nestas situações?

"Minhas únicas expectativas eram superar o processo e fazer o melhor disco que eu pudesse. Eu sabia que ia ser bom, não tinha ideia de que seria o sucesso que foi. Um dos maiores problemas ao fazer o disco era que Michael e Anthony estavam em uma espécie de briga estranha e nunca vinham ao estúdio, a menos que fosse seu dia de gravar. Dado que era praticamente eu e John que fazíamos os overdubs, e não podíamos contar com o resto da banda, era como se voássemos cegos e tivemos que tomar muitas decisões criativas sem eles."




Você tem visto o John nos últimos anos? Poderia nos contar alguma história engraçada sobre ele durante a gravação do Mother's Milk? 

"Não vejo o John há muitos anos. As únicas histórias que vêm à mente são pessoais e não apropriadas para este fórum."

Como era o John durante a gravação? Era complicado trabalhar com ele?

"Foi divertido trabalhar com John, muito criativo e inspirado. Era muito jovem e novo no processo de gravação e um pouco estranho, neurótico e bobo. Inicialmente teve dificuldade em não tocar sua guitarra Ibanez no disco, mas finalmente a abandonou." [Escute AQUI um ensaio muito raro de "Good Time Boys" com as últimas vezes de John tocando uma guitarra Ibanez].




Houve diferenças na forma de gravar as faixas de guitarra entre Slovak e Frusciante? Você usou os mesmos métodos de registro?

"Não tenho certeza com o que você quer dizer com registro? É a gravação? Não houve diferença real entre a forma como eles foram gravados - as configurações eram muito básicas - geralmente um amplificador em um gabinete de alto-falante que estava ligado a dois microfones."

Você acha que a formação original poderia ter o mesmo estilo no Mother's Milk? 


"Como mencionei antes, não haveria possibilidade disso acontecer. Se tivessem ficado juntos, sua produção musical seria completamente diferente."




Qual foi sua primeira impressão quando você conheceu esses caras bobos em 1987?


"Eu gostei deles, eu desfrutei da energia e achei que seria legal fazer um disco com eles. Eu não tinha ideia do que estava fazendo."

Qual foi a contribuição específica de Hillel na gravação da Uplift? 


"A contribuição do Hillel ao The Uplift Mofo Party Plan foi muito significante, já que a maioria das músicas foram o resultado de improvisações ou riffs que ele ou Flea trouxeram para a banda. Algumas músicas, como "Behind the Sun" começaram como ideias que ele trouxe à banda."





_________________________________________________________________
Entrevista realizada por:
- Gianmarco Minossi com perguntas elaboradas pela Comunidade do VQ.it.

Publicada em 12 de janeiro de 2018.

_________________________________________________________________
Tradução para o português:
- Natália Dias ad-Víncula Veado

Revisão:
Paula Buckvieser

_________________________________________________________________
Michael Beinhorn - Perfil do Facebook
Michael Beinhorn - Site Oficial
Michael Beinhorn - Blog


Nenhum comentário:

Postar um comentário