21 de janeiro de 2019

A música vem da matéria do infinito - Inicio de 1999


"Eu pratico o tempo todo, e sei teoria, na verdade penso em música desse jeito, porque penso em música de todas as formas em que posso. Tipo, se estou fazendo a parte do backing vocal de uma música, sei qual o intervalo estou cantando e sei como ele se relaciona com os acordes da canção. Acredito que quando se faz música, você joga com a matéria da qual o infinito é feito. Entender a teoria dos acordes e dos intervalos e das notas e de como a música é composta em um papel podem tornar o uso desses elementos com o infinito maior. Por outro lado, conhecimento tecnológico pode fazer também o entendimento da relação da música com o infinito menor. Para mim faz crescer, mas houve um tempo na minha vida em que fazia com que fosse menor, e quando percebi esse efeito, me esqueci de tudo. Esqueci até que eu sabia ler música, esqueci que um dia soube o nome das notas. E foi quando eu percebi que estava surgindo meu estilo próprio de compor e de tocar guitarra. Então, quando já tinha meu estilo, voltei a pensar nessas coisas, e sinto que fez meu estilo ficar mais mágico. E só fez com que a perspectiva do meu entendimento de como a música é infinita, mais profundo. Quando escuto música, é incrível para mim como há tantas combinações de cores e sons. É realmente ilimitado."
- Guitar Magazine (Austrália) - Inicio de 1999

Nenhum comentário:

Postar um comentário