18 de julho de 2016

Amps: By The Way - Red Hot Chili Peppers

Gravação:

- Marshall Major 
- Marshall Super Bass

"Sim, eu usei [os Marshalls Major e Super Bass] todo o tempo em estúdio."
- Tonal Telepathy, Agosto de 2002

Em By The Way, Frusciante usou um Marshall Major de 200 watts e Marshall Super Bass de 100 watts. Geralmente utilizando um destes em uma configuração estereo de som com algum outro amplificador de guitarra, tipicamente um Fender Showman Blackface conduzindo um Marshall.
- Guitar World (USA), Julho de 2002

- Marshall 25/55 Silver Jubilee
John usou outras guitarras para as sessões de By The Way, mas as faixas em que foram usadas não fazem parte do álbum. "Tivemos algumas músicas mais pesadas que não entraram no álbum, por terem um som mais pesado e distorcido - em algumas eu usei uma SG através de um Marshall que é dobrado com uma distorção", John se lembra. "Para mim, esse é o tipo final de distorção do som. Eu tenho uma excelente SG de 1961 - Vincent também descobriu ela para mim - ela tem P90s e eles são realmente ótimos. Nós também fizemos uma faixa de 15 minutos chamada "Strumming In D On J", o título significa literalmente "Dedilhando na escala de D (ré) na Jaguar" e espero que possamos lança-la, porque é uma música funky muito boa.".
- Guitarist Magazine, Junho de 2003
- Fender Blackface Showman

"Uso também um reverb da Fender dos anos 50."
- Tonal Telepathy, Agosto de 2002
- Fender Tube Reverb 63'

"Eu estava usando um grande reverb de mola Fender dos anos 60. Eu usei-o com um sintetizador de modulação - que é o som que você ouve no refrão de "Throw Away Your Television". Como seria de se esperar pelo nome, ele tem "grande reverb", mas também tem um som realmente bem grosso com um ótimo tom."
- Total Guitar, Agosto de 2002






"Eu usei reverb em grande parte deste álbum, como eu nunca tinha realmente feito antes. Essa é uma das principais diferenças entre o som da guitarra. Eu estava realmente influenciado por toda a surf music que eu tenho escutado. Eu tinha um velho Fender Spring Reverb."
- Guitar World (USA), Julho de 2002


Turnê:

- Marshall Major
- Marshall 25/55 Silver Jubilee (2X)

"John usa um amplificador Marshall Major 200W com válvulas KT88 e um Silver Jubilee, juntos. Os amplificadores são usados simultaneamente através de um Boss Chorus CE-1 onde o sinal entra em mono e sai em estéreo. Então, dessa forma se o chorus está ligado ou não o sinal fica dividido para os dois cabeçotes. O Silver Jubilee é apenas um pouco sujo no volume que usamos."

Os cabeçotes Marshall Major são difíceis de se encontrar, fomos capazes de encontrar somente três e nos conhecemos um cara chamado Mike Hill, que trabalhava na Marshall e ele nos disse que eles só fizeram cerca de 100 amplificadores desse - entre 1969 -1973. Eles são especiais porque em 200W você estar no seu volume máximo e ainda ele é realmente limpo. É basicamente como um amplificador de baixo. John soa tão limpo, com toda distorção ou overdrive é seu jeito de tocar a guitarra com os diferentes pedais. Se algo der errado e eu tenho que tirar o cabeçote Marshall para conferir, e - em seguida, quando você o coloca de volta, você realmente tem que regular ele tudo de volta. Você não pode simplesmente marcar os números que usa nele e os por novamente, porque do jeito que está configurado, o jeito que nós o usamos através das entradas significa que ele tem que ser corretamente regulado ou vai se tornar muito distorcido ou não vai ser enérgico o suficiente - mudando todo o timbre - ele é muito instável. Você tem que configurá-lo cerca de quatro vezes para encontrar o ponto certo. Eu estou acostumado com isso agora. "
- Dave Lee (técnico de equipamentos de John Frusciante) - Guitarist Magazine (UK) - Junho de 2003

Nenhum comentário:

Postar um comentário