17 de julho de 2016

JF EFFECTS ENTREVISTA: JACK SHERMAN

Jack Sherman é o homem por trás das guitarras de "The Red Hot Chili Peppers" (1984), álbum de estréia da banda com mesmo nome. Músicas como "True Men Don't Kill Coyotes", "Green Heaven", "Buckle Down", "Out In L.A." e "Police Helicopter" mostram um Sherman louco, funky e selvagem. Ele está casado desde 28 de julho de 1984 com sua esposa Anne, e hoje eles vivem em Savannah, Georgia (E.U.A.). Em uma breve conversa, Sherman fala um pouco sobre o equipamento utilizado no álbum dos Chili Peppers e também sobre o equipamento que ele usa hoje em dia.


Você se lembra do equipamento que utilizou quando gravou e fez turnê com os Chili Peppers? Pode nos falar um pouco sobre as faixas do álbum?
"Meu amplificador principal de palco era um Randall RG-80 com uma caixa 1x12, ambos o combo e a caixa tinham falantes Celestion. Meus pedais no palco eram um Pro-Co Rat que eu tinha comprado do Flea (ainda o tenho), um TS-9 Tube Screamer da Ibanez e o último da cadeia era um CS-9 Chorus da Ibanez. Eu também usei esse set na gravação de "Baby Appeal". Usei também um Electric Mistress da Electro-Harmonix que era alimentado por duas baterias de 9 volts em algumas coisas com o Red Hot Chili Peppers, em uma posição "frozen-flange" (modo "Filter Matrix") para os overdubs percussivos de "Baby Appeal", por exemplo.

Minhas guitarras no palco eram duas telecaster da Schecter, que era customizadas. Uma das telecaster Schecter tinha captadores noiseless da Seymour Duncan. A outra tinha captadores Fender e também um antigo captador Gibson P90 no meio, mas um pouco mais pra trás, próximo á ponte. Eu usei essa guitarra em "Mommy, Where's Daddy?" diretamente na mesa, sem amplificador.

Tinha um combo Marshal 2x12 de 50 watts no estúdio que eu usei em alguns solos como os de "True Men Don't Kill Coyotes" e "Buckle Down". Eu usei uma Les Paul Custom de cerca de 1974 nestes solos. Em "Why Don't You Love Me" usei uma stratocaster 1961 que tinha um corpo de 1970. Não consigo me lembrar qual era o amplificador em "Green Heaven", mas foi gravada com a minha telecaster Schecter principal."


E qual é o equipamento que você usa hoje em dia? 
"Eu costumo usar poucos pedais no palco hoje em dia. Eu tenho uma cópia customizada de um Fuzz Face transistorizado, um Little Big Muff, um Kalamazzo da Lovepedal e um Plimsoul da Fulltone. Eu raramente os uso, mas tenho um Phase 90 e um Dyna Comp da MXR. Esses são os exatos relançamentos dos originais. Também tenho um antigo delay analógico da Boss mas eu dificilmente o uso. Meu amplificador principal é um Top Hat Vanderbilt 33 e eu tenho um Cannabis Rex com falante de 12 polegadas na caixa e um cabeçote separado. Eu também possuo alguns amplificadores antigos.

Tenho poucas guitarras e uso diferentes guitarras e diferentes pedais nos shows de acordo com o meu humor. Geralmente, uso um ou dois overdrives diferentes ou talvez um drive e um fuzz, etc. Estou esperando receber em breve um outro pedal de fuzz de um amigo que monta pedais aqui em Savannah. Esse é pra ser algo bem similar ao antigo Univox Fuzz que Pete Townshend usou no final dos anos sessenta com o The Who. Espero que fique bom!"


Para terminar, você gostaria de dizer algo para os fãs do Brasil que, mesmo depois de tanto tempo, ainda curtem seu trabalho com os Chili Peppers?
"Para o povo apaixonante do Brasil, eu digo: eu aprecio muito que alguém esteja ouvindo a música que fiz com o Red Hot Chili Peppers e curtindo. Eu trabalhei duro na gravação para criar algo que mostrasse alguma variedade na música. Eu gosto de diferentes tipos de música, e eu quis que isso ficasse aparente no álbum."

___________________________________________________________Entrevista realizada por:
- Rodrigo Galafuz em 15 de março de 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário