23 de setembro de 2016

John Frusciante fala sobre o Ibanez WH-10

John Frusciante fazendo uso do seu Ibanez WH-10 durante a apresentação no Live Earth em 2007.

O antigo guitarrista do Red Hot Chili Peppers, John Frusciante, usava um pedal Ibanez WH-10 para conseguir seu timbre característico de wah wah durante as gravações e apresentações com a banda, e enquanto fazia seus álbuns solos como o "The Empyrean" de 2009. "Quando eu era um garoto, o primeiro pedal de wah que eu tive foi um Morley Power Wah, e ele era bem legal," ele lembra. "Você podia pisar bem fundo nele e o filtro que havia era bem forte. Depois dele eu tentei o Cry Baby e alguns outros pedais de wah e todos eles pareciam fracos. Eles também passavam do grave pro alto muito rápido, quase sem espaço entre os dois, e os filtros deles não eram tão fortes."




"Então eu consegui o Ibanez e ele soava ótimo. Ele tem um knob de profundidade que eu quase sempre mantinha no máximo, mas que também pode lhe dar um som mais sutil e suave, e um modo Guitarra/Baixo que lhe dá graves mais poderosos no modo Baixo. Os agudos sempre são mais fortes, não importa qual configuração você use, e ele tem tanto um boost de volume quanto um boost de EQ. Acho que a primeira vez que usei o modo Baixo num disco foi em "Naked In The Rain" do álbum "Blood Sugar Sex Magik". E na canção "Hey" do "Stadium Arcadium" existem dois solos legais com o pedal de wah sem distorção, então dá pra escutar o som do wah puro."

"Também, quando eu estava nos Chili Peppers, se eu ficasse de frente pro meu microfone, mais ou menos a uns 6 ou 9 metros de distância dos meus amplificadores, geralmente eu não conseguia ter feedback, e eu tinha que andar até ficar perto dos meus amps. Mas no segundo que eu ligasse o Ibanez, eu conseguia um feedback muito forte, e eu podia mover o wah e conseguir vários harmônicos de qualquer nota que estivesse soando, dependendo de onde eu o tivesse colocado no set. Algo que Frank Zappa costumava fazer muito era manter o seu wah em uma única posição, ou movê-lo apenas levemente, só pra conseguir um certo timbre, e com o Ibanez você pode tirar uma enorme variedade de timbres mesmo mantendo-o no mesmo lugar. É o pedal de wah mais excitante que eu já tive. É claro, grande parte do meu som ao vivo era tocado por dois stacks Marshall, e isso realmente muda a forma como qualquer pedal de efeito vai responder e soar."

Frusciante ganhou seu primeiro WH-10 como parte de um acordo de patrocínio com a Ibanez. "Quando eu entrei nos Chili Peppers pela primeira vez, a Ibanez foi bem legal e me deu o pedal de wah junto com duas ou três guitarras. Eu toquei as guitarras por um tempo mas a banda - e com isso estou falando do Anthony e do Flea - foram totalmente contra, e então quando eu passei a tocar as Stratocasters da Fender, eu destruí as guitarras Ibanez no palco só pra deixar eles felizes - mas eu definitivamente guardei o pedal de wah!"



Diferente da atual reedição do WH-10, o original era feito de plástico ao invés de metal. "É fácil de quebrá-lo," diz Frusciante. "Por exemplo, da última vez que os Chili Peppers estiveram no Saturday Night Live, no clímax de uma canção que tocamos, eu pisava no pedal de wah para um ganho extra. Eu mantinha o pedal na posição de agudo só pra tocar bem rápido e sujo, mas eu acabei pisando muito forte e o quebrei. Eu quebrei vários deles no palco, e agora só tenho um, mas na verdade eu nem o uso mais. Nos Chili Peppers eu estava tocando como Jimi Hendrix e eu parei de fazer isso quando saí da banda."


Artigo publicado por Barry Cleveland no Music Aficionado em 20 de setembro 2016. Barry já entrevistou John Frusciante inúmeras vezes pela Guitar Player, mas sobre essa presente na postagem não há informações de quando foi realizada - possivelmente é uma parte cortada da Guitar Player de abril de 2014.

Tradução: Pedro Tavares

Nenhum comentário:

Postar um comentário