2 de outubro de 2017

O renascimento de John Frusciante - Janeiro de 2001


Bem, nada melhor do que começar o ano do que falar do "renascimento" de John Frusciante, de volta ao Red Hot Chili Peppers e uma importante melhora instrumental em um dos retornos mais bem sucedido de 2000. Para alguns, a banda do ano, por causa de seu novo álbum, os singles do ano passado, Otherside e Californication (ambos grandes vídeos de 2000), o melhor show ao vivo com a emoção e energia que só pode vir de um show dos Peppers e que em duas semanas estará de volta em nosso território, com paradas no Brasil e na Argentina, e se isso era pouco, com uma das melhores capas para um álbum, como Californication. Depois das recentes notícias dos seus planos iminentes para começar a gravar um novo álbum (depois de um 1999 muito bem sucedido), há também o fato de que Frusciante está pronto para voltar com um novo álbum solo, o terceiro de sua carreira, desta vez do lado limpo da vida.

Primeiro de tudo John, fale-nos sobre as sessões de gravação deste novo álbum e sobre os músicos que nele participam.

"O único músico no meu álbum sou eu. As gravações foram feitas durante a turnê dos Chili Peppers, no ano passado. Eu estava escrevendo as músicas nos momentos que eu esperava, em quartos de hotel, para começar os shows com a banda. Eu amo cantar, então eu sempre me pegava escrevendo canções e gravava bases em casa e depois com a ajuda de um amigo ia a um estúdio de gravação e mostrava que posso ser o único músico."

Ouvindo seus álbuns antigos nota-se uma forte influência de Syd Barret e as fases mais experimentais de David Bowie. Existe algo que, neste novo álbum, o leva até meados dos anos noventa?

"É a evolução natural das minhas composições. Comecei quando eu era criança, mas escrevia seriamente, descobri que tinha um talento natural para escrever melodias, que era quando eu tinha 20 anos, por volta de 1991. Havia sempre uma musica em que eu estava escrevendo no estilo desses que você mencionou, Syd Barret e David Bowie, mas também me inspirei com Captain Beefheart e Lou Reed."

Sim, nós pensamos nisso.

"A diferença essencial é que antes eu imaginava muitas coisas que estavam acontecendo na minha cabeça e eu estava tentando transformá-las em som e eu não sabia como. Convertendo os ritmos e frequências em uma parte da minha música... era impossível para mim. Naquela época eu só podia tocar violão e cantar, agora eu acho que depois de ter ouvido algumas músicas eletrônicas, eu fui capaz de fazer a minha música rica em texturas e sons completos. Acho que tudo que eu tenho escutado este último período, em que me reuni com os Peppers, têm sido diferentes tipos de música eletrônica, especificamente Depeche Mode. É a única música que me faz me sentir bem."

John, há um significado especial por trás do título? O que está por trás do nome para To Record Only Water For Ten Days?

"Para mim o título é, evidentemente, para que as pessoas queiram o que significa e, esperamos, vai ser imaginativo, mas para mim não tem a conotação de pureza. E mesmo assim o que o nome significa para o povo e como o irão interpretar ainda é o mais importante pra mim, ainda mais que minha idéia pessoal do título. O nome para o álbum chegou até mim antes de ter escrito algumas das canções, e até três anos atrás, eu sabia que esse título seria o único para o meu álbum."

Em entrevistas recentes, você disse que todo o seu período de dependência de drogas abriu novas portas para você em termos de percepção, e que isso já aconteceu antes e isso acontece agora, também, a diferença é que você não poderia controlar as coisas apropriadamentes antes. Fale-nos sobre isso.

"Acho que todo esse período é algo que eu tinha que passar e superar, eu não acho que todas as pessoas tenham que passar esta mesma experiência com as drogas... normalmente a maioria das pessoas têm suas vidas arruinadas. Eu honestamente acho que a vida é melhor sem elas, mas também penso que elas fizeram algo maravilhoso para mim... mas eu não as vejo fazendo nenhum bem à outras pessoas, além de estragar suas vidas. Você me perguntou sobre algo que eu disse sobre as drogas e eu só lembro de um amigo que agora está passando por um problema de dependência grave, e é muito triste. Se você me perguntar hoje, eu dificilmente responderei, porque eu estou vendo algo tão ruim, que eu nem quero pensar no que a droga poderia fazer, ou não, para mim. Acho que as drogas fizeram algo de bom para mim porque eu, conscientemente, tomei a decisão de me tornar um viciado... Eu não cai na delas sem perceber, não foi uma fraqueza."

Como?

"Foi uma decisão muito bem pensada, algo que eu fiz e me pegou no limite, o meu único objetivo era chegar ao ponto de "aventura espiritual" e tendo como um credo no mundo metafísico, fui com tudo. E com isso passei o período eu não estava na banda, dedicando-me completamente para coisas que não podiam ser vistas, o invisível: vida e energia, que é o que move todos nós. Eu fui levado a concentrar-me em boas vibrações e sentimentos, eu não fiz coisas ruins durante esse período. Para ninguém. A única coisa horrível com que eu estava assustado era aquele monte de pessoas que estavam preocupados pensando que eu ia morrer. Nem a morte me preocupava muito, talvez porque eu sabia que não ia morrer. Eu sabia que não estava fazendo tudo isso para fugir de alguma coisa, embora em cada momento era difícil imaginar o estado das coisas de quando você está limpo e aprecia a vida quando você não está usando nada. É difícil chegar a esse ponto, que levou mais de um ano, mas quando você conseguir isso, você fica mais feliz do que você ja ficou em toda sua vida.

E isso é o que me aconteceu nestes últimos anos, não tenho sequer pensado em fazer isso novamente e isso é porque eu amo a música e como eu me sinto quando estou limpo - exceto alimentos naturais, vitaminas e ervas - para que essa percepção continue. Ela põe o meu corpo em um estado deslumbrante de "voar naturalmente" o tempo todo. Devo aceitar que minhas experiências com drogas eram raras, e que não são semelhantes ao que eu vejo em outras pessoas. Não é legal. É só você pensar que você pode obter todas as coisas que você sente com a droga, sem ela: música, pintura, arte, ser criativo, fazer amor com a pessoa que você ama. Estas são coisas muito melhor do que drogas."

Mudando um pouco este tema pesado, o que você lembra sobre seu show em Santiago em 1999?

"Eu me lembro do público ser fabuloso, as pessoas muito legais. Não me lembro de nada especificamente sobre o show em si. A maioria dos nossos shows, apesar de cada um ser diferente em sua própria maneira, são os mesmos. Nós estamos dando 100% em cada nota que tocávamos e sempre tentávamos fazer o som fresco e novo. Minhas memórias de Santiago são tão vagas e vivas como qualquer um dos shows do último período ou do ano passado na América Latina."

Algo sobre o fã clube oficial do Chile (Cosmikmelloship FC)? Eles lhe mandaram um monte de beijos e amor...

"Como são doces, eu os digo obrigado... Eu recebo todos os beijos, o amor e eu vou tentar devolvê-los com a música."

O que você acha sobre Californication ... por exemplo, qual seria a sua canção favorita no álbum?

"Ummh. Talvez ''This Velvet Glove'', eu amo essa... mas eu amo todas elas, realmente, você deve entender que Californication tem sido a melhor coisa que aconteceu comigo nesses anos. É o período mais feliz da minha vida e o álbum sempre representará isto para mim."

Nós acreditamos que você tenha sido um fator importante no fato incontestável do retorno muito bem sucedido do Red Hot Chili Peppers, como a obtenção do espírito da banda, mais uma vez. O que você acha sobre isso?

"Eu acho que você está certo."

O que você pensou quando viu o vídeo de Californication?

"Eu realmente gostei dele, é uma viagem. Isso é o que eu pensei, é um bom vídeo, todos com bom aspecto. Eu gosto de vídeo game, eu sempre pensei que era uma boa ideia e tornou-se imagens de uma maneira incrível. Estou feliz do jeito que foi lançado. Você já viu o vídeo Road Trippin'? Eu gostei muito."

Nestes dias alguns grandes shows vão acontecer na América Latina, especialmente o Rock in Rio 3. Que tipo de expectativa você tem a respeito dele?

"Espero que haja um monte de fãs que assistam e que se crie uma sensação enorme e linda de energia no ar. Quando eu entro no palco com esses três caras e a energia começa a fluir e com isso capturar a própria energia do público é algo como ir para dentro deles e ser como uma janela de amor ao mundo. E me lembro especialmente das multidões da América Latina pela sua intensidade, eu acho que nós realmente melhoramos desde a última vez que tocamos lá, em 1999. Seremos capazes de devolver a energia melhor do que fizemos da última vez. E eu nem sei que outras bandas vão estar lá."

OK John, obrigado por seu tempo.

"Obrigado, foi um prazer, tenha um bom dia."


Tradução: Felipe Marcarini e Carla
Fonte: Rockaxis (Chile) - Janeiro de 2001

Nenhum comentário:

Postar um comentário