26 de julho de 2020

Mosrite Fuzzrite: o fuzz da turnê de Stadium Arcadium e do álbum The Empyrean



O Fuzzrite, como o nome diz, é um pedal de fuzz desenvolvido por Ed Sanner e que foi fabricado pela Mosrite na década de 1960. A produção desse pedal começou em 1965 e até o inicio de 1966 foram fabricadas cerca de 250 unidades, com transistores de germânio, que são conhecidas como a primeira versão do pedal. Depois disso, os transistores de silício começaram a ser usados e deram origem a segunda versão do pedal. De acordo com Sanner, isso aconteceu após o guitarrista Leo LeBlanc notar que com a queda de temperatura o pedal com transistores de germânio não funcionavam tão bem, o forçando a reformular o pedal. Estipula que foram feitas alguns milhares de unidades da segunda versão do pedal com silício, até que ela foi substituída por um novo circuito em algum momento de 1968. A terceira versão do Fuzzrite manteve os transistores de silício, contudo, tinha todo o sistema encapsulado por um módulo laranja e foram produzidas 20.000 unidades dessa versão até que ele foi descontinuado na década de 1970.

A Mosrite nunca relançou o pedal em todos anos todos desde que a produção foi finalizada. Já Ed Sanner, que deixou a empresa em 1968, o aprimorou e o recriou algumas vezes ao longo dos anos e até chegou a produzir duas reedições do pedal - o chamado de Sanner Fuzzrite -, sendo a primeira na década de 1990 e a segunda em 2002. O Sanner Fuzzrite, em ambas as edições, teve componentes da década de 1960 usados em sua construção e o ao todo foram feitos cerca de 300 desses pedais.




MOSRITE FUZZRITE V1 (1965-1966): A VERSÃO USADA POR JOHN FRUSCIANTE

É consenso entre os guitarrista que estudam o timbre de John Frusciante que o músico tenha usado a primeira versão do pedal com transistores em germânio. Isso porque o germânio e o silício possuem características sonoras diferentes - apesar do germânio ser mais instável ao ambiente, ele é tido como o legitimo som de fuzz, "orgânico" e definido, por outro lado, o silício é exemplificado pelos sons invariáveis e agudos.

O Mosrite Fuzzrite V1 entrou nos pedais de John Frusciante na turnê de Stadium Arcadium, com o Red Hot Chili Peppers, em 2006 e 2007. Esse pedal foi amplamente usado nesses shows, sobretudo no primeiro ano da turnê, sendo responsável pela maior parte dos sons distorcidos de improvisações e solos - estando sozinho ou combinado com algum outro pedal (como MXR Micro Amp, ou o Boss DS-2 Turbo Distortion, ou o Electro-Harmonix Big Muff PI) e moldado pelo uso do Ibanez WH-10 V1.


Exemplos do Fuzzrite ao vivo podem ser ouvidas de maneira incisiva nas improvisações de inicio de show do Red Hot Chili Peppers (como na "Intro" de La Cigale) ou no solo de "Dani California" e, de maneira mais sútil, pode ser notado no solo de "Stadium Arcadium" no Rock In Rio de Portugal, mostrando a versatilidade desse fuzz.




Em estúdio, Frusciante usou seu Fuzzrite no álbum The Empyrean, com destaque na música de abertura “Before The Beginning”:
"Em “Before The Beginning”, usei um Holy Grail e um pedal Big Muff, e também um pedal Fuzzrite e um Boss Turbo Distortion."
- Guitar Magazine (Japão) - Fevereiro de 2009 
"[Em “Before The Beginning”] Toquei minha Stratocaster enquanto permanecia em frente a um Marshall, e provavelmente usei um Boss DS-2 Turbo Distortion e um Mosrite Fuzzrite, juntamente com o controle de volume da guitarra, para produzir sons que iam do levemente distorcido a explosivo. Utilizei ainda um wah-wah Ibanez WH-10 para obter feedback em diferentes frequências, e devo ter adicionado um pouquinho de reverb de um Electro-Harmonix Holy Grail."
- Guitar Player (Brasil) - Julho de 2009



FRUSRITE: O FUZZRITE V1 DA AVF - PEDAIS E EFEITOS EM PARCERIA COM A JFEFFECTS


Hoje é quase impossível ter em mãos um Mosrite Fuzzrite V1 e, quando isso é possível, para tê-lo você deverá desembolsar uma quantia próxima ou igual a U$S 1.000 (algo acima de R$ 5.000). Devido a essa incapacidade, a John Frusciante effects resolveu a entrar em contato com Adam Viana da AVF - Pedais e Efeitos para produzir um pedal o mais próximo possível da primeira versão do Fuzzrite, com componentes iguais ou os mais semelhantes possíveis encontrados nos dias atuais. Após análises e estudos do circuito de germânio, esse projeto tornou-se viável e um protótipo do pedal está sendo construída por Adam Viana na cidade de Aracaju, em Sergipe, no Brasil.


FRUSRITE será o nome desse pedal, uma simples combinação de palavras que remete a FRUSciante e ao FuzzRITE.

O Frusrite irá possuir as mesmas especificações do original (com os controles de volume e depth) e com algumas melhorias de uso que em nada alterarão a base sonora efeito - sendo adaptado no sistema uma entrada para fonte 9 volts com plug P4 (o original só funciona a bateria 9 volts) e uma chave 3PDT para adição de um led e para que o circuito seja true bypass, não gerando alteração do timbre quando ele estiver desligado. Além disso, o pedal irá preservar o visual vintage do Fuzzrite em uma carcaça um pouco menor que a original.

A principio, o Frusrite tem previsão de lançamento para outubro e será feito uma série limitada e numerada de 12 pedais, sendo 10 destinados à venda por um preço honesto e acessível aos seguidores da JFeffetcs. A arte do pedal e o vídeo do protótipo serão liberados no final do próximo mês, fique atento.

Em caso de interesse em um exemplar do Frusrite ou para mais informações, entre em contato por meio do e-mail frusrite@gmail.com.




Pesquisa e texto: Raphael Romanelli


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...