9 de novembro de 2016

Yertle, a Tartaruga - An Oral/Visual History


Eu vi o Red Hot Chili Peppers pela primeira vez no programa do Alan Thicke [Thicke of the Night], de onde eu tinha um vídeo deles. Meu amigo Gerald me fez uma coletânea de vídeos com muito The Residents, Sun Ra e outras coisas estranhas. O primeiro vídeo que eu vi não tinha nem o Hillel, mas depois o Gerald me fez uma coletânea em fita cassete do Captain Beefheart e mais algumas outras coisas que eu nunca tinha ouvido, como "Yertle the Turtle" do Freaky Styley. Eu gostei muito da guitarra nessa música.

A primeira vez que eu vi o Red Hot Chili Peppers ao vivo foi no Variety Arts Center, e foi realmente incrível. Eles tinham um som muito diferente - foi antes do Uplift Mofo sair. Eles tocavam esse som bem pesado. Eles ficavam bem psicodélicos usando pintura corporal luminosa e tudo mais. HILLEL FAZIA UNS FEEDBACKS INCRÍVEIS E COISAS ASSIM. FOI A EXPERIÊNCIA MAIS MÁGICA QUE EU JÁ TIVE NA PLATEIA DE UM SHOW. Com a luz negra, parecia que a banda e o público eram uma coisa só. Depois disso eu comecei a vê-los o máximo que eu podia, todas as vezes que eles tocavam em LA ou por perto. E eu sempre senti como se eu fosse parte daquilo. O mesmo tipo de coisa de quando eu ouvi Cat Stevens aos quatro anos - a música estava dentro de mim, e não era como se eu me sentisse particularmente conectado com o público, mas simplesmente sentia como se tudo ali fosse uma coisa só. Não parecia que a música estava sendo tocada para uma plateia - era como se todo mundo que estivesse lá fosse a música.

Fonte: An Oral/Visual History - Red Hot Chili Peppers with Brendan Mullen (página 108)
Tradução: Pedro Tavares

Nenhum comentário:

Postar um comentário