7 de novembro de 2016

Vá até o final - An Oral/Visual History


Eu descobri o punk quando eu tinha uns nove anos. Eu gostava de Devo, dos Ramones, de B-52's, e depois eu consegui um álbum do The Germs em 79 quando foi lançado. Daí em diante, eu gradualmente comecei a focar num punk mais radical, das primeiras bandas de skatecore da costa oeste. Até aí, Devo era a minha banda favorita, mas isso mudou para The Germs, X, Black Flag, Circle Jerks, Wasted Youth, Adolescents e mais e mais. Eu escutava o programa de rádio de Rodney [Bingenheimer] todos os sábados e domingos na KROQ-FM - eu gravava o programa e sentava na cama escutando tudo de novo depois que acabava. Às vezes o Rodney tocava até demos em fita cassete! Isso inspirava mais jovens a acharem que eles também podiam fazer aquilo. O HARDCORE DA COSTA OESTE ERA MÚSICA FEITA POR ADOLESCENTES E PARA ADOLESCENTES - ESSE ERA O SENTIDO DAQUILO.

Antes de eu me mudar para Mar Vista, nós morávamos em Santa Monica e eu ia para o Marina Skate Park todo fim de semana. Eu tinha cabelo curto e eu o deixava espetado. Eu escutava as pessoas mais velhas falando alguma coisa sobre essa banda ou aquela. Dos nove até os onze, eu andava de skate. Era assim que eu descobria músicas novas. Se eu pudesse fazer o que quisesse, eu teria ficado ali o dia todo, todos os dias, logo depois da escola, mas minha mãe não deixava. Eu andava até à loja Mrs. Gooch em Mar Vista porque eu tinha amigos mais velhos que trabalhavam lá, de vinte e três anos ou que seja. Eu conheci meu primeiro amigo punk lá. Quando eu comecei a gostar de punk, alguns amigos não quiseram mais ser meus amigos. Definitivamente tinham algumas crianças que não gostavam de mim. Eu não podia ir para shows quando eu gostava de punk - minha mãe não deixava. Ficar pulando dentro da rodinha de porrada e enlouquecer e dançar - parecia ser algo muito bonito para mim, mas não para ela. Esse cara chamado Craig que trabalhava na Mrs. Gooch e seu melhor amigo tinha um irmão mais novo, da minha idade, que também gostava de punk. Nossa primeira conversa foi, "Então, cara, eu ouvi dizer que você gosta de [The Black] Flag?" e eu respondi, "Completamente."

Eu enchi alguns jarros de moedas para poder comprar discos de vinil - na época você conseguia comprá-los por $3,99. Eu estava nessa loja de discos em Santa Monica comprando um disco do Ramones quando eu conheci essa garota, provavelmente com uns dezoito anos, e ela me falou que conhecia Darby Crash e que ela gostava de The Doors - e que Darby e Jim Morrison eram grandes poetas. Ela falou que eu devia comprar um disco do The Doors, então na outra vez eu comprei essa compilação muito boa, um álbum de maiores sucessos, eu acho. PUNK AGORA PARECIA ALGO COMO DARBY E JIM MORRISON COM IGGY E BOWIE NO MEIO. Eu também tinha livros em casa. Meu pai gostava muito de filosofia, um assunto que estava sempre sendo discutido em casa, então, felizmente, eu tinha ele ou alguns amigos com quem eu podia falar sobre isso. Minhas novas descobertas - Eno, Byrne, tinham uma inclinação intelectual a tudo que eles faziam e assim, estudar a natureza da mente tornou-se cada vez mais importante.

Fonte: An Oral/Visual History - Red Hot Chili Peppers with Brendan Mullen (página 118)
Tradução: Pedro Tavares

Nenhum comentário:

Postar um comentário